Top 10 competências exigidas para 2020 segundo o Word Economic Forum

Top 10 competências exigidas para 2020 segundo o Word Economic Forum

Que competências pessoais, técnicas nos serão exigidas daqui a 5 anos? De que forma o avanço das novas tecnologias nos irá condicionar e que adaptações teremos de realizar para nos conseguirmos  adaptar a elas?

Partilhamos um artigo da revista inforh.pt, escrito por Carolina Veríssimo a 2 de fevereiro de 2016.


2020 não está assim tão longe, mas com os avanços tecnológicos, já se consegue prever que será um ano marcado por uma robótica avançada, por um transporte mais autónomo, pela inteligência artificial e aprendizagem mecanizada, etc…

Um terço das competências (35%) mais valorizadas hoje em dia no mercado do trabalho, deixarão de ser relevantes para reter ou atrair talento.  Alguns trabalhos vão desaparecer, outros vão crescer e empregos quase inexistentes vão tornar-se comuns.

Um novo relatório do World  Ecomomic ForumThe Future of Jobs, dá uma perspetiva do emprego, das competências e a estratégia de trabalho para o futuro.

Fica o top 10 das competências exigidas para 2020:

top10skills




Quais as competências que sofrerão alterações?

A criatividade, por exemplo, vai tornar-se uma competência indispensável aos colaboradores. Com a avalanche de novos produtos, das novas tecnologias e novas formas de trabalho, os trabalhadores vão precisar de ser mais criativos.

Ao contrário da criatividade, competências como capacidade de negociar e flexibilidade vão deixar de ser importantes, pois serão feitas por máquinas que utilizarão dados para decidir pelos humanos.

Um estudo feito pelo World  Ecomomic Forum sobre o futuro do Software e da Sociedade mostra que as pessoas têm consciência que as máquinas de inteligência artificial vão passar a fazer parte do conselho de administração das suas empresa, até pelo menos 2026.

Da mesma forma, o active listening considerado uma competência  fundamental, irá desaparecer completamente do top 10. A inteligência emocional, que não apresentam no top 10 , vai se tornar uma das principais competências necessárias.


A natureza da mudança vai depender muito da própria indústria. Nos media e no entretenimento, por exemplo, já tem visto uma grande mudança, nos últimos cinco anos.

O setor de serviços financeiros e de investimento, no entanto, ainda tem de ser radicalmente transformado. Aqueles que trabalham em vendas e produção terão novas habilidades, tais como a literacia tecnológica.

Alguns avanços estão à frente de outros. Internet móvel e tecnologia cloud  já afeta a forma como se trabalha. Quanto à inteligência artificial, a impressão a 3D entre outros,  ainda estão em fase  inicial, mas prevê-se a sua propagação será rápida.

A mudança não vai esperar por ninguém: os líderes empresariais, educadores e governos, todos precisam ser próativo na melhoria das qualificações e reciclagem pessoas, para que todos possam beneficiar da IV Revolução Industrial.

Texto original da revista inforrh.pt, adaptado de World  Ecomomic Forum

Partilhar isto:Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+