E se a prescrição for, um jantar à luz de velas, com telemóvel desligado?

E se a prescrição for, um jantar à luz de velas, com telemóvel desligado?

Um artigo do jornal público, publicado a 22/09/2015 da jornalista Catarina Gomes apresentou-nos o livro “Quando a Mente Adoece – uma introdução à psiquiatria e à saúde mental” do Psiquiatra e Professor Pedro Afonso.

O livro alerta para a necessidade de uma certa abstinência tecnológica, isto é de algum bom senso e regras no que toca à utilização de tecnologias em casa.

Pedro Afonso tenta e bem, alertar as famílias a bem da saúde mental de todos os membros, para aquilo que chama hora do “(des)encontro” familiar, provocada pela dispersão causada pelos apelos constantes dos múltiplos “ecrãs” disponíveis em casa.

Convida “a uma espécie de autodisciplina”, em que, sugere às famílias a necessidade de criar ambientes de diálogo e intimidade, onde se pode partilhar “pequenos acontecimentos do dia, os momentos maus, bons, as dúvidas, os desejos e as frustrações que aconteceram num espaço de um dia”.
O livro Quando a Mente Adoece- uma introdução à psiquiatria e à saúde mental (editado pela Principia) pretende explicar, com linguagem simples, quais os vários tipos de perturbações mentais que existem.

E dedica o último capítulo a mapear as muitas mudanças que as novas tecnologias trouxeram à vida social e como estas representam, muitas vezes, ameaças à saúde mental.

Excelente sugestão de leitura para o fim-de-semana!

Partilhar isto:Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+