Novo ano escolar, uma palavra " respeito"

Novo ano escolar, uma palavra " respeito"

 O respeito surge de forma natural numa escola, numa turma, numa relação quando valorizamos as ideias do outro.


O respeito surge de forma natural numa escola, numa turma, numa relação quando valorizamos as ideias do outro.

De uma forma geral, uma das preocupações de um professor nos primeiros dias de aulas é conseguir passar aos alunos objectivos da disciplina, regras de funcionamento da sala de aula, calendário dos testes e exames…

Na verdade, nada de novo, nada que os alunos efectivamente já não saibam…Regras transversais a todos os contextos da nossa sociedade em geral, adaptadas ao contexto de sala de aula.

Típicas regras de sala de aula

Regras projectadas, apontadas no caderno mas na grande maioria das vezes esquecidas, ao toque de saída.

Para despertar interesse e atenção dos alunos, é preciso mais, é preciso que o professor vá para além do óbvio.

Repensar as regras, uma palavra, “respeito”

Talvez os alunos não precisem de mais alguém que lhes passe um conjunto de regras previsíveis, talvez os alunos necessitem apenas de alguém, que os ajude a refletir, a conectar-se de forma mais profunda com os conceitos a compreender.

Quem não quer genuinamente ser respeitado?
Mais importante que encontrar uma definição genérica para “respeito” e afixá-la na parede, será conseguir que cada aluno, sinta e consiga perceber por palavras próprias essa definição, que descubra o seu próprio conceito.
A pergunta que se impõe é… Como?

Primeiro passo é conseguir criar na turma, um espaço aberto de diálogo e partilha de ideias.

O professor através da partilha de histórias, pode começar por ajudar as crianças a descobrir a importância de respeitar e ser respeitados.

Depois poderá propor que individualmente e por escrito, cada aluno se proponha a responder a uma simples questão de resposta aberta:

“Respeito é …”

Para além de ser uma boa forma de indirectamente poder avaliar competências de escrita do aluno (semântico-pragmáticas e ortográficas), poderá ser um ponto de partida para a abertura do diálogo pretendido.

Depois de concluírem a tarefa, pode recolher, baralhar aleatoriamente as respostas, voltar a distribuir pela turma e pedir para cada aluno apresentar o trabalho dos colegas, destacando as suas ideias favoritas ou expressões mais cativantes.

O importante é, promover o diálogo entre todos e deixar claro para a turma, que todas as vozes, contam!

Como professor, não deixe de abraçar este desafio, mantenha presente, em cima da secretária esta pequena, mas ao mesmo tempo tão grande palavra.
Experimente entrar no novo ano sem pré-conceitos, disponha-se também a aprender com os seus alunos, observe, descubra as suas particularidades e valorize as suas diferenças.

Tradução e adaptação do artigo original, “Respect Grows When We Value Kids’ Ideas” de MARY TARASHUK, publicado a 09/08/2015 no blog www.middleweb.com

Se o quiser consultar, clique aqui.

Partilhar isto:Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+