DISPOSITIVOS

Muito se tem especulado sobre o futuro dos computadores nesta era dos tablets, no entanto apesar das vendas destes estarem em declínio, cada dispositivo tem os seus próprios méritos e nenhum pode ser completamente substituído por outro.

Cada um deve ser utilizado consoante as respetivas necessidades, o ambiente e a mobilidade.

Os computadores portáteis:

  • Têm ecrãs maiores, teclados “físicos”;
  • Dependendo das marcas, utilizam um determinado sistema operativo;
  • O mais habitual, continua a ser o sistema operativo Windows da Microsoft. Os novos portáteis, já veem de série com o Windows 8, que se assume, num formato completamente novo, concebido para uma nova geração de Pcs;
  • O utilizador pode adquirir, o programa Office, que permite executar de forma eximia tarefas de criação de informação e processamento de dados (Word, Excel, PowerPoint);
  • Em termos educativos, é impossível não referir, que a maior parte dos documentos, resumos de estudo, trabalhos, testes, são produzidos através do Word. O Powerpoint, permite a criação de apresentações temáticas, adaptadas com alguma interatividade às necessidades específicas de dada criança;
  • Permitem a leitura e partilha de ficheiros, que são facilmente armazenados em cds, discos externos, cartões de memória.
  • Software educativo elaborado por empresas nacionais, em português, com conteúdos adaptados ao programa dos diferentes níveis de escolaridade;
  • Com o novo Windows 8, já é possível descarregar aplicações (loja Windows); existem versões de portáteis com ecrã touch.

Mas em contra-partida

  • Hardware e software específico bastante dispendioso;
  • Necessidade de treino e formação específica não generalizável a todos os programas;
  • A compra dos jogos obriga à deslocação da pessoa ao local de venda efetuada em lojas.

Os tablets

  • Design atrativo, formato com dimensões, espessura, peso mais reduzido, por isso mais fácil de transportar (permite a utilização em qualquer lado e verá que, na maioria dos ambientes).
  • Permite que a aprendizagem aconteça em qualquer dia, lugar, hora.
  • Ecrã interativo, sensível ao toque, não necessita de dispositivos intermediários como o rato de computador. Com o mover de um dedo, pode navegar na Web, enviar e-mails e utilizar sites de redes sociais. Organizar a agenda, partilhar ficheiros, gerir fotografias, jogar e ver filmes.
  • Ecrã de vidro de alta definição com uma excelente resolução de imagem, perfeitamente nítida, e visível a partir de todos os ângulos.
  • O conteúdo apresentado é instantaneamente orientado, independentemente da posição em que estiver a segurar o dispositivo.
  • Um sistema operativo intuitivo, as interfaces de utilizador permitem uma abordagem mais simples e por isso são facilmente utilizados por pessoas de todas as idades (dos 2 aos 100).
  •  Altamente personalizável consoantes as necessidades e perfis motivacionais individuais.
  • O seu manuseio, permite a estimulação e exploração dos vários canais sensoriais, como o visual, auditivo e táctil, que tem um impacto muito positivo ao nível da aquisição, treino de aprendizagens, comunicação, participação, acesso ao currículo, interação com os pares.
  • Considerado uma mais-valia, na intervenção com crianças com Perturbações do Desenvolvimento, Deficiências Físicas e Sensoriais, Dificuldades de Aprendizagem, bem como todas as crianças no geral.

.

A grande diferença entre os portáteis e tablets consiste no tamanho, nas funcionalidades e na facilidade de utilização.

Um portátil, ainda supera um tablet em muitas funcionalidades mas os tablets vieram revolucionar, repensar os potenciais educativos das Tecnologias de Informação e Comunicação em educação.

 

Partilhar isto:Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+